Ponto de partida

Pegadinhas nos rótulos proliferavam sem parar, enquanto as pessoas seguiam acreditando que as novidades repletas de açúcar, sódio, gordura ruim e aditivos à venda nos supermercados eram de fato alimentos e bebidas saudáveis.

Alguém precisava fazer alguma coisa. Era preciso avisar aos consumidores que os rótulos não eram lá tão confiáveis quanto pareciam, pois a legislação da Anvisa e do Ministério da Agricultura não era lá tão bem feita, do ponto de vista do direito do consumidor à informação.

Primeiro, seria lançado o alerta. Depois, tentaríamos mudar a legislação.

O que foi feito

Vídeos sobre o uso do nome “cereal” em sobremesas disfarçadas
Vídeos sobre as alegações “light”, “integral” ou “fit” em produtos cheios de açúcar e gordura
Vídeos sobre os reduzidos (e ridículos) tamanhos de porção em que se baseia a informação nutricional
Vídeos sobre a rotulagem (precária) de alimentos transgênicos
Vídeos sobre modelos de rotulagem nutricional frontal experimentados em outros países
Vídeos sobre o uso enganoso de termos como “tradicional”, “original” ou “caseiro” nos rótulos
Vídeos sobre o significado real da palavra “sabor” nos rótulos
Vídeos sobre a má legibilidade (provavelmente proposital) das listas de ingredientes
Vídeos sobre a declaração correta da quantidade de ingredientes fundamentais em sucos

Resultados alcançados

Mais de 30 vídeos denunciando as pegadinhas nos rótulos
Quase dois milhões de visualizações totais (até agosto de 2017)
Mais de dez mil comentários totais (até agosto de 2017)
Mais de 17 mil compartilhamentos totais (até agosto de 2017)
Ver playlist